Análise Técnica X Análise Fundamentalista

Por Alexandre Wolwacz - Stormer em 26 de abril de 2017 às

Existe uma ampla discussão em quem ganha mais dinheiro no mercado financeiro, aqueles que usam análise fundamentalista ou aqueles que usam análise técnica? Historicamente as duas escolas guardam farpas, uma contra a outra. O ressentimento contra a análise técnica remonta dos tempos em que esta não tinha comprovação estatística e ficava calcada em desenhos que pareciam pouco científicos e mais ligados ao esoterismo do que estudos quantitativos sérios.

 Ouço muitos traders afirmando que não precisam conhecer fundamentos das empresas que operam, pois estas são apenas fichas negociáveis que devem ser compradas mais barato e vendidas mais caro. O discurso é muito bonito, mas a realidade é outra. Os fundamentos influenciam os movimentos de mercado mais amplos. As épocas do ano que um determinado ativo inicia um movimento mais forte. O período em que um recuo mais intenso pode ser observado está muitas vezes intimamente ligado ao eixo econômico que aquela empresa desenvolve suas atividades. Você já deve ter visto surfistas aproveitando ondas na praia.

 O que separa um surfista amador de um excelente surfista? O surfista amador consegue, olhando a formação das ondas na superfície, decidir qual onda vale a pena ser remada e qual não merece o esforço. Mas ele não conhece o relevo daquela praia, onde estão os recifes, onde estão as elevações. E são esses recifes, essas ondulações que estabelecem os locais onde as melhores ondas são criadas, bem como o espaçamento de tempo entre elas. Então é aí que entra o exemplo do excelente surfista.

 Entenda os recifes e o relevo do fundo do mar como os fundamentos da empresa que está sendo operada. Observe o setor de bancos, compreender a importância dos balanços emitidos no terceiro trimestre de cada ano, impacta diretamente na usual formação de fundo que esse setor estabelece nos meses de junho e julho. Essa sazonalidade pode ser capturada a partir dessa compreensão. Mais do que apenas capturar a sazonalidade dos movimentos de um setor, como não teremos dinheiro para operar todas as empresas, faz todo o sentido do mundo reservar nosso dinheiro para operar na compra apenas ações que tenham excelentes fundamentos, com isso, nosso dinheiro estará sendo operado apenas naquelas empresas que tem maior solidez e com isso, bem menos afeitas a movimentos voláteis e inesperados.

 Entre operar uma empresa deficitária ou operar uma empresa que apresenta elevados lucros líquidos e ótimos fundamentos, o que você considera mais seguro? Tenho certeza que a maioria dos leitores concordaria comigo que operar empresas com elevados lucros e ótimos fundamentos traz mais segurança ao trader. Mas também tenho certeza que a maioria das pessoas não estuda fundamentos como deveria.

 Em resumo, vejo que a análise fundamentalista responde uma pergunta bem diferente da questão respondida pela análise técnica. A análise fundamentalista ajuda a responder: o que é uma empresa boa? Já a análise técnica mostra quando é bom comprar ou vender uma determinada empresa. Se unirmos o melhor dos dois conhecimentos, nossa possibilidade de criar valor e ganhar dinheiro cresce exponencialmente.

Share on Google+Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe seu comentário