POR QUE O IDEAL É TER DOIS MÉTODOS PARA OPERAR NO MERCADO?

Por Jose Gaspar em 8 de agosto de 2017 às

Two businessman connecting puzzle pieces togheter with copy space

A FERRAMENTA CERTA PARA O TRABALHO

Você usaria um martelo e pregos para consertar o seu computador? Ou uma chave de boca para pendurar um quadro? Ou quem sabe um serrote para pintar uma cadeira? Evidentemente que não. No mercado funciona da mesma maneira. Precisamos usar a ferramenta certa para o problema que estamos tentando resolver.

Podemos dizer que, em geral, os preços de um ativo no mercado financeiro podem se mover de duas maneiras distintas: em tendência ou lateralmente.

Exemplo de ativo em tendência de alta:

 

captura-de-tela-2017-08-07-as-21-34-48

 

No caso acima, a tendência é caracterizada pelo fato de que os preços, se movendo em impulsos, sobem mais do que descem.

Outro exemplo de tendência, agora de baixa:

 

captura-de-tela-2017-08-07-as-21-35-39

 

De forma oposta, no exemplo acima, a cada impulso os preços descem mais do que sobem.

No entanto, além dos cenários de tendência (alta ou baixa), os preços podem se mover de uma forma completamente diferente dessas duas, eles podem estar lateralizados:

 

captura-de-tela-2017-08-07-as-21-41-13

 

No movimento lateral, ou congestionado, as pernas de impulso de alta têm praticamente a mesma amplitude das pernas de baixa.

Outro exemplo de movimento lateral:

 

captura-de-tela-2017-08-07-as-21-42-26

Um ponto que merece atenção é que um mesmo ativo pode mudar de movimento em tendência para movimento lateral e vice-versa. Veja o exemplo da PETR4 abaixo. Ela ficou durante 6 meses (de abril a outubro de 2016) em uma linda tendência de alta:

 

captura-de-tela-2017-08-07-as-21-24-37

 

E na sequencia alterou completamente o cenário do movimento indo para uma lateralização que durou os outros 6 meses seguintes (de outubro de 2016 a abril de 2017):

 

captura-de-tela-2017-08-07-as-21-23-58

 

DOIS CENÁRIOS, DUAS FERRAMENTAS

A lógica para operar cada um desses dois cenários de mercado é diferente e, portanto, as ferramentas usadas também são diferentes.

Um cenário de tendência precisa ser operado por um método de tendência.

Um cenário lateral precisa ser operado por um método de volatilidade.

Tentar operar um ativo em tendência usando um método para mercado lateral ou vice-versa é como usar um martelo para cortar as unhas ou uma chave de fenda para pregar um prego. No mercado essa confusão tem um preço, faz você perder dinheiro.

 

Wrong tool for the job.

 

Alguns problemas que surgem ao se usar um método de tendência num ativo lateral:

  1. Nas compras você é estopado muitas vezes pois as pernas de baixa são muito longas.
  2. Para evitar o problema acima, você teria que colocar Stops muito longos, o que o faria perder muito quando o ativo não se movimentasse a seu favor.

 

Problemas que surgem ao se usar um método de volatilidade num ativo em tendência:

  1. Você fica fora do mercado esperando por um sinal que nunca vem, já que o método espera por um recuo grande o suficiente, mas esse recuo não acontece, pois o ativo está em tendência de alta.
  2. Você acaba estopado quando o método manda comprar no recuo, mas aquilo não é um recuo, e sim uma reversão de tendência.

 

Portanto, o primeiro passo é decidir se o ativo que você está querendo operar está em tendência ou lateralizado. Só assim você poderá escolher adequadamente a ferramenta que vai usar.

Existem várias maneiras de detectar o cenário em que o ativo se encontra. Algumas vão nos dizer se o ativo está ou não em uma tendência e qual a sua força. Outras nos indicam se o ativo está ou não lateralizado.

É com base nessa primeira decisão que vamos escolher um ou outro método para operar o ativo.

 

UM É POUCO, DOIS É BOM, TRÊS É DEMAIS

Assim, o ideal é ter dois métodos distintos e preparados em sua caixa de ferramentas de trader, um de tendência e outro de volatilidade, e usar o método certo para o cenário em que o ativo se encontra.

Claro que além da escolha do método existe a escolha dos ativos que serão operados em cada método. Mas isso abordarei em outro artigo.

Infelizmente não existe um método que contemple e funcione bem nos dois cenários. Mas se você estiver atento ao cenário e escolher o método correto suas chances aumentam muito. Escolha o método de acordo com o cenário do mercado.

Nos próximos artigos vou falar sobre algumas boas ferramentas para operar cada um dos dois cenários.

 

José Gaspar

Fiquem ligados no Facebook da L&S e na série de vídeos Como Ganhar Dinheiro na Bolsa de Valores.

image8

Share on Google+Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe seu comentário

Opiniões dos Leitores

  1. Mario Wajc 8 de agosto de 2017
    Ola Gaspar Sabemos que existem tendencias primárias, secundárias e até terciárias. No caso, a qual você se refere? Abs Mario Wajc
    • Jose Gaspar 9 de agosto de 2017

      Olá, Mário. Isso vai depender do prazo operacional que você escolheu para operar. Muitas vezes num prazo maior o ativo está numa tendência de alta e num prazo menor ele está lateral ou até em tendência de baixa. Então é necessário definir em que prazo você vai analisar o movimento para então decidir se ele está em tendência ou lateralizado. Algumas estratégias envolvem convergir vários timeframes, ou seja, você só opera se em 3 timeframes, por exemplo, tudo estiver indicando uma compra. Abraços!